quinta-feira, 29 de abril de 2010

"Paulistano da Gema"

Sou paulista, sim senhor! De 400 anos, como aqui costumamos dizer. Minha família veio de Jaú há quase um século e fixou-se no Jardim América. O nome de minha família está até mesmo ligado ao de um dos mais importantes prefeitos paulistanos.
Meu nome! Joaquim Jorge Nogueira de Almeida Prato Pontes e Ferreira. Sou ainda jovem e vibro como ninguém por esta cidade.
O bairro onde resido é realmente um jardim: ruas arborizadas, prédios com canteiros floridos, enfim, muita áreas verdes. As ruas estão permanentemente limpas e dispomos de todos os mais modernos serviços do Poder Público e das empresas que, nós moradores do bairro mantemos; principalmente, por causa da segurança, uma vez que a cidade se deteriorou muito.
Temos aqui próximo shoppings magníficos e um comércio de rua que muito nos agrada e atende, em especial na Faria Lima e na Berrini. Prima por produtos de qualidade, vindos do mundo todo.
Falando em deterioração, o centro da cidade transformou-se num lixo: as lojas que permanecem abertas apresentam artigos de baixa qualidade, são mal frequentadas e ainda têm de conviver com um verdadeiro exército de camêlos que impedem até mesmo a circulação dos pedestres. Ir à cidade, só em situações muito especiais, geralmente para tratar de assuntos empresariais e administrativos, quando é impossível fazê-lo por aqui.
Um outro problema que nos aflige é a saída da cidade nos fins de semana; para ir ao litoral ou às chácaras de lazer localizadas ao longo da Raposo Tavares ou da Castelo Branco, temos que enfrentar congestionamentos terríveis, que nos roubam boa parte do tempo que dispomos para descansar. E o pior de tudo é termos que conviver como uma paisagem cinzenta e mal cheirosa dos bairros operários, povoado por marginais e vagabundos. O rio Tietê e o rio Pinheiros são também retratos dessa deterioração, pois os moradores dessas regiões não se cansam de jogar lixo na calha do rio. Uma lástima.
Apesar de tudo, entretanto, ainda é bom estar em São Paulo, uma metrópole que nos põe tudo o que desejamos à disposição. Daqui podemos voar para qualquer parte do mundo e acompanhar de perto a modernidade que, em muitos sentidos, fica bem perto de nós, pois, afinal de contas, estamos num dos mais importantes pólos de comunicação do mundo moderno. Aqui fincamos nossas raízes e podemos nos sentir donos legítimos desta grande cidade.

Álvaro José de Souza

3 comentários:

  1. Digníssimo jovem paulistano Sr. Joaquim Jorge Nogueira de Almeida Prato Pontes e Ferreira.
    Foi um prazer encontrar seu texto e com imensa satisfação redijo um comentário. Parabens pelo seu amor por seu local de vivência, voce o exalta e exibe repulsa por tudo que acha nefasto a ele, porem caro amigo infelizmente como nordestina acho0me no direito e dever de expressar o meu repúdio por tudo e todos que ao povo da minha região exprime nojo e terror. Somos sim um povo de luta, com a cabeça erquida enfrentamos todo tipo de trabalho defendendo o nosso pão de cada dia em suma o nordestino é um povo laborioso. Algumas partes da nossa história voce esqueceu de pontuar no seu texto. Se São Paulo existe está fincado num país que teve como berço o tão famigerado nordeste que por conseguinte devido ao Poder Capitalista, não atende às necessidades do seu povo que sai em busca de uma vida melhor e planta-se no sudeste brasileiro e neste viés pontuado por Vossa Alteza está omisso que foi o nordestino com seu espírito de luta desbravou chão em busca de socorro e ajudou São Paulo a ser o que hoje é, porque nenhum homem de terno e gravata ou um Mauricinho da vida acostumado aos prazeres da carne se daria ao luxo de viver no lixo em prol dos seus descendentes.
    Desculpe-me a franqueza porem muito me constrangiu o seu relato e espero que voce aceite o meu desabafo.

    ResponderExcluir
  2. Prezada Sra. Luzia Lomanto:
    Faço minhas as tuas palavras!
    Peço desculpas em nome do autor do texto, uma vez que o mesmo já não está mais entre nós.
    Por fazer menções preconceituosos para com o valoroso povo nordestino , fiz as devidas e justas correções.
    Grato pela sua valorosa participação.
    Prof. Miguel Jeronymo Filho (autor do blog)

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Prof. pela atenção.
    Sempre ao seu dispor
    Luzia

    ResponderExcluir